Ser voluntário ajuda a conseguir bons empregos

Ser voluntário ajuda a conseguir bons empregos

Ninguém vai fazer o bem ao próximo só pensando nas vantagens que isso pode lhe trazer. Ou, pelo menos, não deveria. Mas não dá para negar que dedicar-se a um trabalho voluntário, por exemplo, é hoje uma forma de “enriquecer” o currículo e ter um diferencial perante seus concorrentes. E como as empresas, antes de contratar um novo colaborador, cada vez tem mais acesso às informações da pessoa, é muito fácil descobrir as principais qualidades (e também os defeitos) daqueles que estão pleiteando a vaga. Em um cenário no qual o mercado de trabalho está cada vez mais competitivo, sairá na frente quem conseguir se diferenciar. “Entre os pontos que podem ajudar seu currículo a se destacar entre os demais concorrentes, o voluntariado ganha cada vez mais força”, reforça o consultor de carreiras Renato Mendes, da plataforma de empregos Job1 .

No Brasil o número de voluntários _ que segundo definição da ONU são aquelas pessoas que dedicam parte do seu tempo, sem remuneração, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem-estar social _ ainda é muito baixo. Aqui, por exemplo, apenas 7% dos jovens dedicam-se a alguma causa voluntária, enquanto que em outros países, como os Estados Unidos, o número chega a 62% da juventude. Mas há, aí, uma grande esperança. Uma pesquisa recente mostrou que 54% dos jovens brasileiros desejam ser voluntários, mas não sabem por onde começar. Renato Mendes diz que a melhor maneira é iniciar buscando uma entidade que desenvolva um projeto no qual você acredita e que te motive a fazer parte da mesma missão. O segundo é visitar a instituição e começar aos poucos. Ele conclui: “Quem se dedica pela primeira vez a uma causa como voluntário costuma se surpreender com o potencial transformador da experiência”.
Voltando à questão do currículo profissional, o consultor lembra que um número cada vez maior de empresas tem vinculado suas marcas a causas sociais, nas mais diversas áreas. Algumas até incluem na lista de tarefas dos funcionários o engajamento em um projeto desta natureza e, para elas, quem não está disposto a dedicar um pouco do seu tempo ao próximo, não tem futuro na companhia. Talvez esteja na hora de pensarmos nisso mais seriamente. Há muita gente precisando da nossa atenção.

Fonte: Blog da Vivi Beviláqua – Diário Catarinense

Leave a Comment